ANÕES ESCRAVAGISTAS

Os indômitos anões escravagistas
Vestiram seus paraquedas psicodélicos
E pularam lá de cima todos bélicos
Sobre a indefesa urbe engomadinha

Para dominar as mentes e os corpos
De seus incautos cidadãos
Os anões escravagistas usam armas telescópicas
Que disparam luzes venenosas
Ejaculações tecnológicas tenebrosas
Que enlouquecem a população

Malditos anões escravagistas
Com seus olhinhos de víbora sem compaixão
Caixão... Caixão... Caixão...

Anões escravagistas
Rabicundos nanicos do mal
Anões escravagistas
Selvagem súcia do mundo Elemental
Meu caro Uótson...

URBANÓTICOS AH! AH! AH!

os urbanóticos tem no cérebro tatuado
o estrábico louvadeus do quebranto,
e nos olhos fugidios o patético espanto
do ex-crente excomungado.

almas com nariz de palhaço,
desatinadas esperanças,
aterradoras sinas encharcadas de vinganças,
feitas de ira e aço.

os urbanóticos lambem enigmas funéreos,
prenhes de obscuros mistérios,
abstratos látegos de orgulhos feridos.

mas apesar da esverdeada peçonha
que despejam no mundo de maneira medonha,
os urbanóticos são seres divertidos.

Ah! Ah! Ah!

PASSA MANTEIGA NA CARA


passa manteiga na cara
pra anestesiar a porrada que eu vou te dar.
passa manteiga na cara
pra tua boca de esgoto não estoporar.

passa manteiga na cara
pra aprender a nunca mais me entregar,
e não dá um pio que eu te despacho
pro andar de cima sua vadia,

facinho, facinho…

PRATA QUENTE

Esta noite
ejacularei minha prata quente
no teu imaculado orifício anal.

Esta noite
serei teu argêntico íncubo incandescente
e tu serás o meu frio pedaço de carne angelical.

Esta noite.

A POSTA

Aposto que
o apóstolo glutão
come posta branca
de primeira
todo dia.
Já os esfaimados dizimistas
devem até o cu
na mercearia
pela posta
de bosta
que engolem
todo dia.

MINA NÃO FIQUE COMIGO



Mina não fique mais um segundo comigo
Porque eu sou sangue tipo Ó negativo ruim,
Sim eu sou o maldito e inefável cupim
Que roeu a roupa do santo e crédulo amigo.

Mina meu papo mesto é um perigo,
Eu sou a circunscrição de uma treta sem fim,
Um falsa e estúpida torre um-nove-nove de marfim
Que esconde em suas entranhas um sinistro jazigo.

Mina eu não valho absolutamente nada,
Tudo em mim é uma imensa roubada,
Meus pés são de barro e minha cabeça de estrume.

Mina espero nunca mais te ver nessa vida,
Adeus para sempre minha xoxota querida,
Sentirei falta dos teus pentelhos e do teu perfume de aniz.

JORGE DA CAPAGULA



Jorge eu preciso parar de comer
Jorge me ajuda a emagrecer

Jorge eu tô falando sério
Se eu não parar de comer
Eu vou acabar no cemitério

Jorge eu preciso parar de comer
Jorge me ajuda a emagrecer
Eu tô falando sério

Help Jorge !


Eu andarei vestido e armado com as armas de Jorge para que a gula tendo pés não me alcance, tendo mãos não me pegue, tendo olhos não me veja, e nem em pensamento ela possa impedir que eu emagreça.

Desejos de comer desenfreadamente não me alcançarão, pratos de comida em excesso se quebrem sem a minha boca tocar, cordas e correntes da obesidade se arrebentem sem o meu corpo amarrar.

São Jorge me proteja e expulse de mim toda a macumba que atrai a maldita obesidade para o meu corpo, me ajude a emagrecer e seja o defensor da minha força de vontade contra os males da gordura e do desejo de comer estupidamente como uma vaca.

Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, mantendo-me em alerta e sempre firme no meu regime, e que debaixo das patas de seu fiel ginete seja esmagado definitivamente todo o meu excesso de peso.

Assim seja, com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo, amém.

MONSENHOR CELSO



Falado: “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes permanecer firmes contra as ciladas do Diabo – Efésios 6:11”

Chamem o Monsenhor Celso que eu estou passando mal
Chamem o Monsenhor Celso que eu fui alvejado por uma macumba letal
Chamem o Monsenhor Celso que a treta do ebó é geral

Exorcismo
Magia Negra
Vuduzismo
Veopentecostal

Chamem o Monsenhor Celso e digam pra ele me exorcizar
Chamem o Monsenhor Celso que eles querem me aniquilar
Chamem o Monsenhor Celso antes que a minha história tenha um ponto final

Exorcismo
Magia negra
Vuduzismo
Veopentecostal

PAI JACÓ



Fui lá no Pai Jacó encomendar um ebó
Contra o mal que me aflige
Mas a coisa não tá fácil

A treta tem corpo fechado
Tem intimidade com o capeta
E alma de machado.

Mas eu confio no Pai Jacó
E nas hostes do seu mocó:

Salve Dona Maria Padilha
Salve Seu Tiriri
Salve Seu Marabô
Grande rei do kaô.

Salve o Pai Jacó !

MEU PAI É DA OPUS DEI

Rev. King Skull

Tudo bem !
Tudo legal !
Tudo em cima !
Tudo certo !
Tudo esperto !

Tudo Ok ! Meu pai é da Opus Dei !

Tudo bem !
Tudo legal !
Tudo em cima !
Tudo certo !
Tudo esperto !

Tudo Ok ! Meu pai é da Opus Dei !

Tudo bem !
Tudo legal !
Tudo em cima !
Tudo certo !
Tudo esperto !

Tudo Ok ! Meu pai é da Opus Dei !

SANDUICHE MÍSTICO

É preciso alimentar a alma
Com o pão de forma dos textos sagrados
Para não sucumbir às tentações

Garçon, um sanduiche místico, por favor,
Com bacon, salada e catupiry,
Ketchup, maionese e mostarda,
E manda junto um refri

Amém !

ARANHA NO BOLSO

Você bebe, fuma, come docinhos sofisticados,
Dança, enche a pança, joga baralho marcado,
Brinca com a sorte, mortal combate e sinuca,
Trepa, canta, sobe na mesa, faz discurso e batuca

Mas no final é sempre a mesma neura porque
Você não racha a conta com ninguém !

Mas no final é sempre a mesma neura porque
Você tem aranha no bolso meu bem !

E eu já tô de saco cheio...

PARE DE ME ADMOESTAR



Uma idéia pode ser baseada em fundamentos verificados ou não.
Quando uma idéia é baseada em fundamentos que ainda não foram verificados ela se chama conjectura.
Dentro da matemática, as conjecturas se chamam hipóteses e, dentro do universo das bandas, as cojecturas geralmente se chamam admoestação.

Ei você: pare de me admoestar
Eu não aguento mais ensaiar
Chega: deixa eu tocar

Ei você: pare de me admoestar
Eu não aguento mais ver você explicar
Chega: deixa eu cantar

Ei você: pare de me admoestar
Eu só quero tocar...
E cantar..
Sem conjecturar...
Chega: me deixa em paz caralho

YOGURT DE GORGONZOLA

Quem não é carola toma yougurt de gorgonzola
Pode crer

Quem não é carola toma yougurt de gorgonzola
Pra aumentar a fé

Quem não é carola toma yougurt de gorgonzola
Pra deixar de ser mané

Aleluia irmãos !

GREGOR SAMSA NÃO MORREU



Olho pra mim, confuso e desbotado ser, e acho um barato
Ver asas marrons de insetos crescendo nas minhas costas
Ver mil esperanças ectoplasmáticas quase mortas
Reluzindo novamente na minha alma cinza de rato.

Aí eu espicho o rabo e escancaro a bocarra e berro
Gregor Samsa não morreu não meu
Gregor nunca se apaga
É como fogo de Prometeu !

E em seguida deito e me empapuço
De uma policromática overdose de metamorfose
Pra mudar radicalmente e ser feliz
Aqui no inferno ou no paraíso, brother
É tudo sempre por um triz.

Aí que dor de dente !

LAMPIÃO É LAMPIÃO E ARREGÃO É ARREGÃO !



Lampião é Lampião e arregão é arregão !

Mirem-se no exemplo do valente capitão Virgolino
Mirem-se no exemplo desse que foi o bravo Lampião
Mirem-se no exemplo desse gladiador do sertão
Mirem-se no exemplo do amor de Maria Bonita
Mirem-se no exemplo do chefe de Jararaca, Corisco, Diabo Louro, Pinga-Fogo e Azulão
E depois digam se eu tenho ou não tenho razão:

Lampião é Lampião e arregão é arregão !
Lampião é Lampião e arregão é arregão !

UM LUGAR DO PALLADIO



Eu quero um lugar do Palladio
Onde eu possa construir meus sonhos e ser feliz
Entre pilares de aço e janelas máximo ar
Se abrindo para um céu cor de aniz.

Eu quero um lugar do Palladio
Para espalhar todas as minhas neuras pelo chão
E ver todas as tristezas escorrendo em mutirão
Pelas sarjetas do esquecimento

Eu quero um lugar do Palladio
Onde eu possa fazer um projeto legal

Eu quero um lugar do Palladio
Que me dê cobertura total
(Com um beiral sensacional
Com cumeeira, espigão, rincão,
Rufo, caibro e ripa tesão)

Eu quero um lugar do Palladio
Onde o ser vem antes do ter
Eu quero um lugar do Palladio
Que seja o bicho pra se viver !

GUERRILHEIRO URBANO DO SÉCULO XXI



Os inimigos da sustentabilidade estão chegando
Os inimigos da sustentabilidade estão chegando
Os inimigos da sustentabilidade estão chegando

Eles estão chegando
Com suas poderosas armas e sua macabra alquimia
Com seus raios letais e sua sinistra magia
Eles querem acabar com todas as nossas selvas e os nossos mananciais

Cadê a minha guitarra ?
Cadê a motoserra ?
Cadê a minha batera ?
Que eu viro fera
E vou lá peitar esses caras
Antes que seja tarde demais

Os inimigos da sustentabilidade estão chegando
Com seus raios letais e sua sinistra magia

Cadê a minha guitarra ?
Cadê a motoserra ?
Cadê a minha batera ?
Que eu viro fera
E vou lá peitar esses caras
Antes que seja tarde demais

Coming soon !

I DON'T WANNA BE LIKE YOU



Eu não quero ser você
Nem o John Lennon, Gandhi, Pascal
Freud, Vitor Hugo, Stendhal
Eu não quero ser você
Nem a pau

Eu não quero ser você
Nem o Pitágoras, Nostradamus, Edison
Beethoven , Niels Bohr, Thomas Jefferson
Eu não quero ser você
Nem a pau

Eu não quero ser você
Nem o Einstein, Da Vinci, Galileu
Shakespeare, Dante, Ptolomeu
Eu não quero ser você
Nem a pau

Eu não quero ser você
Nem o Heráclito, Sócrates, Platão,
Santos Dumont, meu irmão
Eu não quero ser você
Nem a pau

Então pare de me perturbar
Com essa epistemologia infernal
Afinal:
Eu não quero ser você
Nem a pau !

TEOREMA DE PITÁGORAS

Pitágoras recebeu as Chaves da Doutrina Secreta
E descobriu que no triângulo retângulo o quadrado da hipotenusa é igual à soma dos quadrados dos catetos

Teorema de Pitágoras...

Catetos...
Hipotenusa...
Dois cavalheiros e uma musa...
Tô ligado...

Pitágoras recebeu as Chaves da Doutrina Secreta
E descobriu que no triângulo retângulo o quadrado da hipotenusa é igual à soma dos quadrados dos catetos

Teorema de Pitágoras...

Catetos...
Hipotenusa...
Dois cavalheiros e uma musa...
Tô ligado...


Pitágoras recebeu as Chaves da Doutrina Secreta !